Segundo relatórios da OMS, o câncer é a segunda principal causa de mortes no mundo, somando um total de 9,6 milhões de óbitos pela doença em 2018. Apesar disso, a área da Oncologia vem desenvolvendo pesquisas e avançando tecnologicamente de forma que os tratamentos para os diversos tipos de câncer se tornem cada vez mais efetivos e menos debilitantes.

Além de participar do desenvolvimento de novas terapias e intervenções, os residentes e profissionais expressam grande sentimento de inspiração ao acompanhar as trajetórias dos pacientes com quem têm contato tão próximo.

Se você tem o sonho de tratar pacientes com o uso das mais recentes descobertas tecnológicas e colaborar para o avanço das pesquisas na área, esse post é para você!

Para seguir na área da Oncologia, você deve completar os três anos de residência em Internal Medicine (o programa que mais recebe estrangeiros!) e depois seguir para um Fellowship em Oncology (que dura dois anos) ou Hematology and Oncology (que dura três anos). Você pode ainda completar os quatro anos de residência em Radiation Oncology após o primeiro ano de Internal Medicine, mas essa alternativa – apesar do período mais curto de formação – requer que você participe do processo do Main Residency Match pelo menos duas vezes.

O Fellowship em Oncologia é a especialidade com maior porcentagem de IMGs aceitos no último Match, com 50% dos residentes. Já Hematologia e Oncologia tem 27,7% do quadro de novos residentes composto por estrangeiros formados fora do país.
Para chegar mais perto do Match, além de observar a aceitação de IMGs nos programas desejados (colocamos uma listinha no fim do post com as porcentagens de IMGs em algumas universidades) e garantir bons resultados no USMLE (o que você já deve ter cumprido quando aplicou para Internal Medicine ;)), demonstre comprometimento com a área!

A pesquisa, por exemplo, se mostra mais importante na hora de aplicar para um Fellowship do que para uma vaga de residência. Na realidade, podemos dizer que a publicação de artigos científicos é um dos fatores mais importantes para os avaliadores. Aproveite as oportunidades na residência em Internal Medicine para se envolver na área da Oncologia tanto na pesquisa quanto no tratamento de pacientes. Além de somar pontos na sua application e render ótimas cartas de recomendação, te dará um gostinho de como serão os próximos passos na sua trajetória.

Nesses dois ou três anos, o residente acompanhará pacientes com diversos quadros como câncer de mama, melanomas, leucemia e cânceres ginecológicos, além de oferecer tratamentos paliativos. A pesquisa volta a aparecer aqui e também é incentivada pelos programas, sendo que o residente geralmente pode escolher o caminho a seguir e qual será o papel da pesquisa na sua carreira!

Durante esse período de muito treinamento e aprendizado, o salário pode ser de até US$68.000,00 no último ano, já o Oncologista que exercer a profissão nos Estados Unidos receberá uma média de US$306.733,00 por ano.

O caminho até se tornar um Oncologista é longo e inclui pelo menos dois processos de Match diferentes, considerando que as aprovações venham de primeira! Para te ajudar a navegar com mais confiança e tranquilidade neste mar de possibilidades e applications, a MBSA oferece consultorias individuais e personalizadas em conjunto com os cursos preparatórios para o USMLE – onde tudo começa! Para tirar suas dúvidas e se inscrever nas próximas turmas, entre em contato conosco através do instagram!

Um abraço,
Até a próxima,
Juliana Soares Linn

Aqui embaixo você encontra alguns dados sobre os Fellowships em Hematology and Oncology:

Yale
Pontuação Média no Step 1: 210 – 225
Pontuação Mínima no Step 2: 180
10,5% de IMGs

Dartmouth
Ponturação Média no Step 1: 226 – 235
Pontuação Mínima no Step 2: 195
43,9% de IMGs

Brown
Pontuação Mínima no Step 1: 180
Pontuação Mínima no Step 2: 180
14,7% de IMGs

Cornell
Ponturação Média no Step 1: 226 – 235
Pontuação Mínima no Step 2: 200
24,4% de IMGs

Share This
%d blogueiros gostam disto: